domingo, 26 de setembro de 2010

Alu Patra

Sempre que vamos para Curitiba, precisamos ir comer em um desses dois lugares, ambos apresentados pelo Ricardo, um amigo responsável pelo nosso vegetarianismo: ou no Formosa, que tem o melhor rolinho primavera, ou no Balarama, comida indiana que colocou o alu patra na lista de pratos favoritos. Massa crocante por fora, recheio de batata cremoso por dentro...huuuuum.
Da última vez que almoçamos lá, não tinha alu patra e ficamos na vontade. O jeito foi pesquisar e colocar a mão na massa. A receita que usei, com pequenas alterações, é do blog Lentilhas e deu super certo!

Ingredientes da Massa:
4 xícaras de farinha de trigo
1 copo de farelo de trigo
1/2 xícara de óleo
2 xícaras de água morna
Sal a gosto

Misture todos os ingredientes em uma bacia e amassar bem. Deixe descansar por15 minutos. Enquanto isso, faça o recheio.

Ingredientes do Recheio:
3 a 4 batatas cozidas e amassadas como um purê (cerca de meio quilo)
1 colher de chá de gengibre fresco picado
3 colheres de gergelim tostado ( se não achar para comprar, aqueça uma frigideira, acrescente o gergelim e mexa até dourar todos os grãos)
3 colheres de côco ralado sem açúcar
Cúrcuma, cominho, curry e sal a gosto
Misture bem todos os ingredientes e reserve.

Abra a massa com um rolo até que ela esteja fina (não muito para não abrir). Cuide para que ela fique em formato retangular para facilitar na hora de rechear.
Acrescente o recheio e arrume com a mão deixando a superfície lisa, cobrindo toda a massa. Enrole como se fosse um rocambole, tomando cuidado para que não sobre espaço entre as camadas.


Em seguida, corte rodelas com espessura de um dedo. Dê uma apertadinha com a mão em cada rodela para garantir que o alu patra não se abra durante a fritura. Frite em óleo quente e coloque para escorrer em papel toalha.


Alu Patra antes...

... e depois de frito. Eu recomendo!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Pavê vegan de Morango/ Pavê vegan de Chocolate

Nunca gostei de pavê. Talvez porque em casa nunca tinha esse tipo de sobremesa. Mas agora eu gosto e bastante. Além de ser gostoso, é uma boa para quem quer fazer uma sobremesa rápida e fácil.

PAVÊ DE MORANGO


Bolacha maizena vegan (a quantidade varia conforme o recipiente em que você for montar o pavê, o número de camadas que você quer. Para este, usei os três pacotes que vem na embalagem)
1 caixa de morango
2 colheres de açúcar
1 creme de soja
1 copo de leite de soja

Bata os morango, o leite, o creme e o açúcar no liquidificador.
Em um pirex, vá alternando camadas de bolacha e do creme de morango. Como este creme ficou bem liquido, não vi necessidade de molhar as bolachas antes. Pronto. Leva a geladeira antes de servir.


PAVÊ DE CHOCOLATE




Bolacha Maizena
3 colheres de achocolatado em pó
1 creme de soja
Chocolate picado para enfeitar
Leite de soja para umedecer as bolachas


Misture o achocolatado com o creme de soja. Umedeça as bolachas e monte o pavê, intercalando as bolachas com o creme de chocolate. Leve para a geladeira antes de servir. Tcharam, sobremesa delícia e fácil de fazer!


quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Pierogue (ou pirogue) vegan

Antes de vir morar em Ponta Grossa, não fazia ideia da existência de pierogue, uma receita originalmente polonesa. Só fui conhecer algum tempo depois, mas só porque o Jef sempre falava. Amante de massas que sou, lembrei da existência do pierogue essa semana e saiu a adaptação.

Massa
3 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de água morna
1 colher de chá de sal

Recheio
3 batatas médias cozidas (ponto de purê)
1 xícara de tofu
Limão, sal, azeite e pimenta a vontade.

Junte as batatas e o tofu e amasse. Acrescente os temperos e reserve.


Misture o sal com a farinha de trigo e adicione a água aos poucos, até formar uma massa homogênea macia.
Abra com um rolo de massas (finalmente comprei um) em uma superfície polvilhada com farinha de trigo e use alguma coisa, como uma xícara ou a tampa da garrafa térmica, no meu caso, para cortar os círculos todos do mesmo tamanho. Abra mais o círculo se a massa ainda estiver muito grossa e recheie com a batata. Molhe as beiradas do círculo com água e feche seu pierogue como se fosse um pastel. Para garantir que está bem fechado, dá pra pressionar a ponta com um garfo.

Pierogues antes de irem para a panela

Cozinhe os pierogues em água fervente por cerca de cinco minutos. Escorra e coloque em uma travessa. Faça um molho de tomate beeeem gostoso e adicione ao pierogue depois de cozido. Huuuum, cara de almoço de domingo!

As fotos não ficaram muito bonitas não. Muita fome e pouca paciência para ficar arrumando tudo bonitinho. Mas ficou gostoso, nhanham.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Coxinha Vegan de Mandioca

Fazia tempo que estava rolando uma vontade incontrolável de comer coxinha. Pesquisando nosso almoço de feriado, eu e o Jef nos lembramos da existência da mandioca congelada na geladeira e resolvi fazer coxinha com massa de mandioca.
A coxinha com essa massa é uma delícia, mas eu não comia desde sei-lá-quando. Vendia em uma casinha de suco na estrada indo de Ourinhos para Santo Grande, que por sinal eu nem sei se existe ainda. Íamos até lá para comer coxinha, tomar suco de morango e brincar no parquinho.

Para a massa:
1 quilo de mandioca cozida
2 colheres de creme vegetal
2 xícaras de farinha de trigo (aproximadamente)
Sal a gosto

Amasse a mandioca ou passe ela pelo espremedor, acrescente sal a gosto e o creme vegetal, como se fosse um purê. Em seguida, acrescente a farinha de trigo aos poucos até que a mandioca esteja em ponto de massa. Reserve.

Para o recheio:
Azeite
1 dente de alho picado
1 xícara de PTS média hidratada
1 colher de extrato de tomate
Meia xícara de água
Azeitonas, sal, pimenta e páprica a vontade

Frite o alho no azeite, acrescente a PTS, o extrato de tomate, a água e os temperos. Mexa e espere a PTS  ficar bem seca. Desligue e espere esfriar.

Recheando as coxinhas:
Para brincar de rechear suas coxinhas você vai precisar de paciência, 1 prato com farinha de rosca e 1 recipiente com água. Essa é a parte mais chata da receita, não vou mentir.
Molhe a mão, abra um pouco da massa e a acomode na palma da sua mão. Para facilitar o trabalho, faça uma conchinha com a mão. Coloque um pouco do recheio no meio e feche juntando as pontas da massa. Em seguida, dê o formato de coxinha. Mergulhe a coxinha na água e em seguida passe na farinha de rosca.
Frite em óleo quente até que elas estejam douradas. Deixe-as escorrendo em um pirex forrado com papel toalha. Dá para fazê-las assadas, mas né, não vamos se enganar. Já que é para comer coxinha, que seja frita.


Coxinhas antes...

...e depois de fritar.

Huuuuuum, delíciaaa!


sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Pizza de Pão

Ah, não sei se isso é uma pizza de pão. Mas é pão com recheios gostosos. O mais importante é que é super fácil e rápido de fazer. Meio falcatrua como receita, não nego, mas é booom.



Três pães francês cortados ao meio
1 dente de alho picado
Azeitonas fatiadas
Tomate seco
Champignon fatiado
Azeite
Orégano

Coloque o alho no pão, regue com um pouco de azeite, acrescente os outros ingredientes, coloque sal a gosto e regue com mais um pouco de azeite. Leve ao forno aquecido por cerca de 10 minutos ou até que o pão esteja dourado.