sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Quibe de batata




Uou, quase um mês sem postagens novas. Muito trabalho, muita coisa acontecendo, mas prometo ser menos relapsa daqui para frente. A novidade é que o Cozinha Vegana agora também está hospedado no site do Diário de Ourinhos. Enquanto não realizo a transição completa, é possível conferir as receitas aqui e lá.
Esta receita pode ser feita no forno ou frita. Neste caso, se na hora de moldar o quibe se despedaçar, dá para acrescentar um pouco de farinha de trigo e misturar bem.

Ingredientes:
3 batatas médias cozidas e amassadas como um purê
1 xícara de trigo para quibe
1 dente de alho picado
1 rodela de cebola picada
Hortelã, tempero baiano e sal a gosto


Hidrate o trigo com água morna, por cerca de 15 minutos. Esprema bem para retirar a água e junte com a batata já cozida e amassada e todos os temperos. Coloque em um pirex e leve ao forno pré-aquecido até que esteja dourado.

Viu só, gostoso e simples. Para que mais?

domingo, 26 de setembro de 2010

Alu Patra

Sempre que vamos para Curitiba, precisamos ir comer em um desses dois lugares, ambos apresentados pelo Ricardo, um amigo responsável pelo nosso vegetarianismo: ou no Formosa, que tem o melhor rolinho primavera, ou no Balarama, comida indiana que colocou o alu patra na lista de pratos favoritos. Massa crocante por fora, recheio de batata cremoso por dentro...huuuuum.
Da última vez que almoçamos lá, não tinha alu patra e ficamos na vontade. O jeito foi pesquisar e colocar a mão na massa. A receita que usei, com pequenas alterações, é do blog Lentilhas e deu super certo!

Ingredientes da Massa:
4 xícaras de farinha de trigo
1 copo de farelo de trigo
1/2 xícara de óleo
2 xícaras de água morna
Sal a gosto

Misture todos os ingredientes em uma bacia e amassar bem. Deixe descansar por15 minutos. Enquanto isso, faça o recheio.

Ingredientes do Recheio:
3 a 4 batatas cozidas e amassadas como um purê (cerca de meio quilo)
1 colher de chá de gengibre fresco picado
3 colheres de gergelim tostado ( se não achar para comprar, aqueça uma frigideira, acrescente o gergelim e mexa até dourar todos os grãos)
3 colheres de côco ralado sem açúcar
Cúrcuma, cominho, curry e sal a gosto
Misture bem todos os ingredientes e reserve.

Abra a massa com um rolo até que ela esteja fina (não muito para não abrir). Cuide para que ela fique em formato retangular para facilitar na hora de rechear.
Acrescente o recheio e arrume com a mão deixando a superfície lisa, cobrindo toda a massa. Enrole como se fosse um rocambole, tomando cuidado para que não sobre espaço entre as camadas.


Em seguida, corte rodelas com espessura de um dedo. Dê uma apertadinha com a mão em cada rodela para garantir que o alu patra não se abra durante a fritura. Frite em óleo quente e coloque para escorrer em papel toalha.


Alu Patra antes...

... e depois de frito. Eu recomendo!

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Pavê vegan de Morango/ Pavê vegan de Chocolate

Nunca gostei de pavê. Talvez porque em casa nunca tinha esse tipo de sobremesa. Mas agora eu gosto e bastante. Além de ser gostoso, é uma boa para quem quer fazer uma sobremesa rápida e fácil.

PAVÊ DE MORANGO


Bolacha maizena vegan (a quantidade varia conforme o recipiente em que você for montar o pavê, o número de camadas que você quer. Para este, usei os três pacotes que vem na embalagem)
1 caixa de morango
2 colheres de açúcar
1 creme de soja
1 copo de leite de soja

Bata os morango, o leite, o creme e o açúcar no liquidificador.
Em um pirex, vá alternando camadas de bolacha e do creme de morango. Como este creme ficou bem liquido, não vi necessidade de molhar as bolachas antes. Pronto. Leva a geladeira antes de servir.


PAVÊ DE CHOCOLATE




Bolacha Maizena
3 colheres de achocolatado em pó
1 creme de soja
Chocolate picado para enfeitar
Leite de soja para umedecer as bolachas


Misture o achocolatado com o creme de soja. Umedeça as bolachas e monte o pavê, intercalando as bolachas com o creme de chocolate. Leve para a geladeira antes de servir. Tcharam, sobremesa delícia e fácil de fazer!


quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Pierogue (ou pirogue) vegan

Antes de vir morar em Ponta Grossa, não fazia ideia da existência de pierogue, uma receita originalmente polonesa. Só fui conhecer algum tempo depois, mas só porque o Jef sempre falava. Amante de massas que sou, lembrei da existência do pierogue essa semana e saiu a adaptação.

Massa
3 xícaras de farinha de trigo
1 xícara de água morna
1 colher de chá de sal

Recheio
3 batatas médias cozidas (ponto de purê)
1 xícara de tofu
Limão, sal, azeite e pimenta a vontade.

Junte as batatas e o tofu e amasse. Acrescente os temperos e reserve.


Misture o sal com a farinha de trigo e adicione a água aos poucos, até formar uma massa homogênea macia.
Abra com um rolo de massas (finalmente comprei um) em uma superfície polvilhada com farinha de trigo e use alguma coisa, como uma xícara ou a tampa da garrafa térmica, no meu caso, para cortar os círculos todos do mesmo tamanho. Abra mais o círculo se a massa ainda estiver muito grossa e recheie com a batata. Molhe as beiradas do círculo com água e feche seu pierogue como se fosse um pastel. Para garantir que está bem fechado, dá pra pressionar a ponta com um garfo.

Pierogues antes de irem para a panela

Cozinhe os pierogues em água fervente por cerca de cinco minutos. Escorra e coloque em uma travessa. Faça um molho de tomate beeeem gostoso e adicione ao pierogue depois de cozido. Huuuum, cara de almoço de domingo!

As fotos não ficaram muito bonitas não. Muita fome e pouca paciência para ficar arrumando tudo bonitinho. Mas ficou gostoso, nhanham.

terça-feira, 7 de setembro de 2010

Coxinha Vegan de Mandioca

Fazia tempo que estava rolando uma vontade incontrolável de comer coxinha. Pesquisando nosso almoço de feriado, eu e o Jef nos lembramos da existência da mandioca congelada na geladeira e resolvi fazer coxinha com massa de mandioca.
A coxinha com essa massa é uma delícia, mas eu não comia desde sei-lá-quando. Vendia em uma casinha de suco na estrada indo de Ourinhos para Santo Grande, que por sinal eu nem sei se existe ainda. Íamos até lá para comer coxinha, tomar suco de morango e brincar no parquinho.

Para a massa:
1 quilo de mandioca cozida
2 colheres de creme vegetal
2 xícaras de farinha de trigo (aproximadamente)
Sal a gosto

Amasse a mandioca ou passe ela pelo espremedor, acrescente sal a gosto e o creme vegetal, como se fosse um purê. Em seguida, acrescente a farinha de trigo aos poucos até que a mandioca esteja em ponto de massa. Reserve.

Para o recheio:
Azeite
1 dente de alho picado
1 xícara de PTS média hidratada
1 colher de extrato de tomate
Meia xícara de água
Azeitonas, sal, pimenta e páprica a vontade

Frite o alho no azeite, acrescente a PTS, o extrato de tomate, a água e os temperos. Mexa e espere a PTS  ficar bem seca. Desligue e espere esfriar.

Recheando as coxinhas:
Para brincar de rechear suas coxinhas você vai precisar de paciência, 1 prato com farinha de rosca e 1 recipiente com água. Essa é a parte mais chata da receita, não vou mentir.
Molhe a mão, abra um pouco da massa e a acomode na palma da sua mão. Para facilitar o trabalho, faça uma conchinha com a mão. Coloque um pouco do recheio no meio e feche juntando as pontas da massa. Em seguida, dê o formato de coxinha. Mergulhe a coxinha na água e em seguida passe na farinha de rosca.
Frite em óleo quente até que elas estejam douradas. Deixe-as escorrendo em um pirex forrado com papel toalha. Dá para fazê-las assadas, mas né, não vamos se enganar. Já que é para comer coxinha, que seja frita.


Coxinhas antes...

...e depois de fritar.

Huuuuuum, delíciaaa!


sexta-feira, 3 de setembro de 2010

Pizza de Pão

Ah, não sei se isso é uma pizza de pão. Mas é pão com recheios gostosos. O mais importante é que é super fácil e rápido de fazer. Meio falcatrua como receita, não nego, mas é booom.



Três pães francês cortados ao meio
1 dente de alho picado
Azeitonas fatiadas
Tomate seco
Champignon fatiado
Azeite
Orégano

Coloque o alho no pão, regue com um pouco de azeite, acrescente os outros ingredientes, coloque sal a gosto e regue com mais um pouco de azeite. Leve ao forno aquecido por cerca de 10 minutos ou até que o pão esteja dourado.

quinta-feira, 26 de agosto de 2010

Torta Vegan de Morango

Essa receita é especialidade do Jef. Ele é quem sempre faz e fica uma delícia, de comer, comer e continuar sonhando com ela.Posso tentar explicar o quanto é gostosa, mas não vou conseguir. O negócio é aproveitar que ainda estamos na época de morangos e fazê-la! Lembrando que pegamos a receita original  no 'A Delícia de Viver o que Acredita' (http://cozinhavegetariana.blogspot.com).





Para a massa:
1 pacote de bolacha maizena vegan
4 colheres de sopa de creme vegetal

Triture as bolachas com a ajuda de um liquidificador ou um processador. Misture a farinha com o creme até que a massa fique lisa e homogênea. Em seguida, abra a massa no recipiente que você irá fazer a torta e leve ao forno aquecido por cerca de 15 minutos ou até que ela esteja dourada e crocante.

Para o recheio:
2 copos de leite de soja
1/3 da xícara de maizena
Açúcar a gosto e se achar necessário

Dissolva a maizena no leite e em seguida leve ao fogo, mexendo até que engrosse, ficando com a consistência de um mingau. Desligue o fogo e deixe esfriar.

Para a calda:
1 caixa de morangos picados
1/2 xícara de açúcar
1/4 xícara de água

Guarde alguns morangos para a decoração.  Leve o resto ao fogo e misture com o açúcar e com a água, cozinhando até ferver. Quando a calda estiver bem vermelha, parecendo uma geléia, é porque está bom.

Montando a torta:
Pegue o refratário e cubra a massa com o creme branco. Em seguida, coloque a calda de morango por cima e decore com os morangos que você separou. Leve para a geladeira antes de servir.

sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Noite Árabe - pão sírio, homus, berinjela, tabule de cuscuz marroquino (vegan)

Na minha última visita a Ourinhos, no fim do mês de julho, fui jantar com meu pai na casa da tia Salete, famosa por sempre fazer umas comidas muito boas, como um macarrão com molho de vinho e fungi que pretendo refazer e colocar aqui.
Mas fui sem pretensões para o tal jantar e me dei muito bem. Tinha um monte de coisa delícia e que eu podia comer. Refiz alguns desses pratos aqui em PG, para o Jeferson também poder experimentar, e foi sucesso. Muitooo bom.



Tabule de Cuscuz Marroquino ou Tipiak
O cuscuz marroquinho se parece um pouco com o trigo para quibe. Mas o legal é que, diferente do trigo normal, ele absorve todo o tempero que você colocar, ficando sequinho e muito saboroso. O preço é meio salgado, admito, mas achei que vale a pena. Encontrei o Tipiak no Pão de Açúcar, em Ourinhos.

Ingredientes:
1 copo de água morna
1 copo de cuscuz marroquino
7 tomates cereja cortados ao meio
5 damascos seco picados
10 amêndoas picadas
Suco de 1 laranja
Suco de meio limão
Azeite
Hortelã picada e sal a gosto

Hidrate o cuscuz com a água e os temperos. Espere até que o cuscuz absorva todo o líquido. Misture com os tomates, damascos, amêndoas e hortelã e está pronto para servir.


Homus
Eu amo grão-de-bico. Tudo de grão de bico que experimentei até hoje é muito bom. E a pasta de grão de bico é, com certeza, uma das coisas que  mais gosto. Para facilitar o processo, comprei grão-de-bico em conserva, que já vem cozido e pronto para comer.



Ingredientes:
1 lata de grão-de-bico
2 colheres de tahine
Suco de meio limão
Sal e azeite a gosto

Bater tudo no liquidificador até a mistura ficar pastosa. E pronto!

Berinjela
Fiz a berinjela do jeito que sempre faço. Não tem nome porque juntei tudo e deu nisso, ficou gostoso e continuo fazendo assim mesmo. Uma alternativa de substituição para a berinjela é a abobrinha.

Ingredientes:
1 berinjela cortada em cubos
2 tomates picados
1 dente de alho picado
1/2 cebola picada
Azeitona picada
Azeite, sal, pimenta e cominho

Junta tudo numa bacia, tempere e deixe tudo descansado na geladeira para que os ingredientes peguem bem o tempero. Geralmente deixo uma noite inteira. Depois leve para uma panela, acrescente 1 copo de água e cozinhe até que tudo esteja desmanchando. Deixe esfriar antes de servir.


Pão Sírio
Não adianta fazer esse monte de coisa delícia se não tem pão sírio para acompanhar. Fica faltando algo. Como eu, muito esperta, me esqueci de passar em um segundo mercado para ver se achava pão sírio vegan, tentei fazer uma versão caseira. Mas já adianto, ficou com gosto de massa de esfiha, com um formato redondinho. Não que isso seja ruim, adoro esfiha e ficou gostoso, mas não ficou parecido com o original. Se você quer tentar mesmo assim, fica a receita.

Ingredientes:
3 xícaras de farinha de trigo
1 envelope de fermento biológico seco
2 colheres de chá de açúcar
1 colher de chá de sal
2 colheres de sopa de óleo
1 copo de água morna

Misture a farinha com o fermento. Em seguida, adicione o açúcar, o sal e misture novamente. Acrescente o óleo e a água e amasse bem. Deixe a massa descansar por meia hora e depois abra a massa.
Eu abri a massa com a mão mesmo. Fiz bolinhas, achatei e dei uma arrumada. Mas dá para abrir com um rolo de macarrão e pegar alguma coisa circular, como uma xícara, para cortar a massa redonda e ficar bem bonita.
Coloque os pães em uma assadeira untada com óleo e farinha e deixe eles crescendo por mais 10 minutos. Asse em forno pré-aquecido, no fogo médio, até que elas estejam douradas. Cuidado para não deixar queimar.

quarta-feira, 18 de agosto de 2010

Yakisoba Vegan

A receita de hoje é bem fácil. Mas estou levando em consideração que entre os meus leitores tenha alguém como eu anos atrás, que não sabia nem cozinhar feijão e que precisava ligar para a irmã para saber como fazia.




Ingredientes:

1 cabeça de brócolis japonês cozido
2 cenouras médias laminadas
1/2 cebola fatiada
1 xícara de pts grossa hidratada
1/2 limão
1 colher de sopa de maizena dissolvida em 1 copo de água
1/2 xícara de Shoyu
2 colheres de sopa de óleo
Meio pacote de macarrão para yakisoba (certifique-se que é vegan)

Cozinhe o macarrão de yakisoba em água fervente, até que a massa esteja macia. Escorra bem e deixe o macarrão esfriando.
Em uma panela, frite a cebola, adicione a PTS e o suco de limão. Em seguida, adicione o brócolis e a cenoura, shoyu e a água com a maizena. Mexa a mistura até o molho engrossar e desligue o fogo. Depois, é só misturar o macarrão com os legumes e tcharam, está pronto.
Quem quiser se arriscar mais, dá para fritar a massa do yakisoba antes de misturá-la com o molho. Para isso, adicione um pouco de óleo em uma panela, deixe esquentar e adicione o yakisoba. Frite o macarrão até que ele esteja crocante, e em seguida adicione o molho.
Dá para colocar outros ingredientes no yakisoba, como champignon picado, vagem e acelga, por exemplo.




segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Lasanha Vegan

Demorei mas percebi que o queijo é apenas um coadjuvante quando se trata de pizza e lasanha. O que importa mesmo é uma boa massa e um molho bem feito. Baseada nisso, fiz esta lasanha com molho branco, molho vermelho, brócolis, milho e tomates cerejas. Ela não ficou lá muito bonita, mas estava bem gostosa e foi um ótimo almoço de domingo.

Molho Vermelho:
Azeite
1 rodela de cebola picada
3 colheres de sopa de extrato de tomate
1 copo de água
Sal e pimenta do reino a gosto
Esquente o azeite e frite a cebola até dourar. Acrescente o extrato de tomate, a água e os temperos, misture e deixe engrossar. Reserve.

Molho Branco:
1 colher de creme vegetal
2 dentes de alho picados
1 caixa de creme de soja
Sal e tempero baiano a gosto
Frite o alho no creme vegetal, acrescente o creme de soja e os temperos, misture e deixe engrossar. Reserve.

Para o recheio:
1 lata de milho verde escorrido
1 brócolis japonês cozido e picado
Sete a dez tomates cerejas cortados em quatro

Usei um pacote daquelas massas de lasanha secas. Certifique-se, é claro, de que ela é vegan. A instrução do pacote diz que não precisa cozinhar a massa antes da montagem, mas eu prefiro.

Intercale molho vermelho, massa, molho branco, recheio, massa, molho vermelho e assim por diante. Leve ao forno pré-aquecido de 15 a 20 minutos (fogo médio) e pronto. Abaixo, as fotos da nossa lasanha.




domingo, 1 de agosto de 2010

Churrasco vegan

Minha mãe ri quando eu falo que quero fazer churrasco. Para mim, churrasco não é comer carne, churrasco é o ritual de juntar todo mundo, fazer comida e ficar conversando, bebendo e comendo. Antecipamos a comemoração do dia dos pais aqui em casa e fizemos um almoço entre família. Espetinhos, pão de alho, patê de grão de bico e vinagrete.
Abaixo, as fotos do pão de alho e dos espetinhos antes de ir para a churrasqueira e os espetinhos depois.



Espetinhos de PTS
PTS grossa hidratada
Pimentões vermelho, amarelo e verde cortados em quadradinhos

Depois de hidratar e tirar o excesso de água da PTS, faço um molho tipo marinada  e tempero todos os ingredientes. Para a marinada, você vai precisar de:
3 tomates maduros
2 dentes de alho
1 rodela de cebola
Tempero baiano, louro, azeite e sal ou tempero de legumes, tipo o Toque de Chef da Kitano. Bata tudo no liquidificador.

Depois de deixar a PTS descansar com o molho, comece a montar os espetinhos intercalando a PTS com os três tipos de pimentão. Coloque na churrasqueira e vai virando de tempo em tempo, até que a PTS esteja sequinha. Fica bom!

Para o pão de alho usei pão francês, creme vegetal, alho picadinho e orégano. Bem delícia.

quarta-feira, 28 de julho de 2010

Panquecas vegan

Amo panquecas. E tem como fazer panquecas sem ovos e sem leite? Felizmente, sim. Tive que dizer tchau para a receita da sogra e procurar uma nova na internet. Achei várias, mas a que mais me inspirou confiança foi essa aqui debaixo, que já não me lembro mais aonde vi.
Vale comentar que o gosto é o mesmo da panqueca "original". Delíciaaaa!



Ingredientes da massa de panqueca
1 e 1/2 xícara de chá farinha de trigo
1 e 1/2 xícara de chá de água
2 colheres de sopa de óleo
1 colher de chá de fermento em pó químico
Sal a gosto

Bata tudo no liquidificador e frite em uma frigideira anti-aderente untada com um pouquinho de óleo. Para fritar, é só despejar um pouco da massa na frigideira, espalhe fazendo movimentos circulares com a frigideira. Deixe fritar de um lado, depois vire com a ajuda de um garfo, frite do outro lado e pronto.

Para rechear, fiz um molho de tomate com PTS média e milho. Arroz e saladinha para acompanhar.

terça-feira, 27 de julho de 2010

Pizza vegan com Tofupiry

Observação: Refiz a pizza com o tofu que comprei em Ourinhos, que é bem melhor do que o que encontro  em PG, não tem gosto forte de fumaça, rs. Depois da descoberta que o problema era com o tofu e não com o tofupiry, coloco ele entre os meus favoritos.

Leia, abaixo, o post original:

A nossa primeira experiência com o tal do Tofupiry não foi lá muito boa. Isso porque o Jeferson fez o Tofu, na época não achamos para vender em PG. Não ficou ruim, mas ficou bem azedo por causa do limão que usamos como coagulante do tofu. Essa segunda versão, feito com tofu pronto, ficou infinitamente melhor. Mas já adianto que não é meu prato favorito. Se você quiser provar, ficaadica.
Abaixo, a receita e a foto da nossa pizza da última segunda-feira, antes de ir pro forno.



          


Para a massa:
1/2 xícara de chá de água morna
1 envelope de fermento biológico seco
1 e 1/2 xícara de chá de farinha de trigo
1 colher de sobremesa de sal
1 colher de sobremesa de açúcar
Um pouco de óleo

Misture a farinha com o sal, açúcar e o fermento. Acrescente a água e o óleo e amasse. Deixe a massa descansar por cerca de 45 minutos. Abra a massa com a ajuda de um rolo. Enquanto isso, vá fazendo o tofupiry.

Para o Tofupiry:
1 xícara de chá de tofu firme (se você mora em PG, tem no Supermercado Tozetto)
1/3 xícara de chá de água
1/4  xícara de chá de azeite
Meio limão
2 colheres de sopa de polvilho azedo
Sal a gosto

Bata todos os ingredientes no liquidificador. Depois, leve a mistura a uma panela pequena e aqueça, sempre mexendo para que não grude. Quando engrossar, desligue o fogo e reserve.
Coloque a pizza para assar em forno pré-aquecido. Enquanto a massa assa, você pode cortar os ingredientes do recheio.

Para o Recheio:
2 tomates cortados em rodelas
100 gramas de champignon
Meia lata de milho verde escorrido
Orégano e azeitonas a vontade
Molho de tomate

Depois que você já pré-assou sua massa de pizza por cerca de uns 20 minutos em fogo médio, retire a massa do forno e passe o molho de tomate. Em seguida, espalhe o tofupiry com a ajuda de uma colher e cubra a sua pizza com o recheio. Leve ao forno novamente e quando a massa estiver dourada, é só tirar do forno e comer, ebaaa.

terça-feira, 20 de julho de 2010

Strogonofe de Glúten ou Seitan (vegan)





Para o glúten ou seitan

É a segunda vez que faço glúten. Preferi fazer com meio quilo de farinha de cada vez ao invés de um quilo, porque fica mais fácil de amassar e de tirar o amido depois. No meio do processo parece que não vai dar certo, também tive essa sensação, mas dá sim.

Ingredientes:
Meio quilo de farinha
1 e 1/2 xícara de água

Juntar a farinha com a água e amassar como se fosse fazer um pão. Depois disso, formar uma bola e deixar descansar em uma bacia com água por uma noite. No dia seguinte, amassar a massa para retirar o amido e ir trocando a água. É importante tentar deixar a massa toda junta durante esse processo. Quando a água trocada da bacia ficar mais transparente ou quando a massa estiver mais esponjosa e amarelada, está pronto.
Escorra a água e amasse o glúten em forma de rolo. Corte em pedaços como se fossem bifes.
Na panela de pressão, frite uma colher de cebola e um alho picados, adicione água, temperos (pimenta, por exemplo) e um pouco de shoyo. Coloque os bifes para cozinhar por cerca de 20 minutos depois que a panela começar a apitar.
Armazene os bifes junto com água do cozimento em um pote e leve para a geladeira até usá-los.


Strogonofe (para 4 pessoas)

2 colheres de sopa de cebola picada
1 dente de alho picado
1 colher de creme vegetal
2 colheres de extrato de tomate
1 caixinha de creme de soja
4 bifes de seitan cortados em tirinhas
Meio limão

Frite o alho e a cebola no creme vegetal e acrescente os pedacinhos de seitan. Acrescente o suco do meio limão e deixe fritar. Em seguida, adicione o extrato de tomate e um pouco de água. Deixe o molho engrossar, coloque sal e pimenta a gosto e por último adicione o creme de soja. Tcharaaaam, está pronta essa comida delícia. Ah, champignons são bem vindos sempre, mas estava em falta aqui em casa.

Para acompanhar, arroz branco, batata palha e saladinha. No meu caso, saladinha de rúcula da Feirinha de Orgânicos do Emiliano Zapata, que acontece na terça feira de manhã, no campus da UEPG Uvaranas, e na quinta-feira de manhã no campus central.

domingo, 18 de julho de 2010

Noite Mexicana - tortilhas, guacamole e chilli vegan

No último dia 14, eu e o Jeferson completamos cinco anos de namoro. Queríamos comemorar a data com um jantar, mas as opções veganas aqui em Ponta Grossa não são muitas, para não dizer inexistentes. Então decidimos fazer uma noite mexicana. O resultado você pode conferir na foto abaixo: Doritos Original, tortillas, guacamole e chilli. Ficou tudo muito bom!


Costumávamos usar aquele Doritos apimentado, que é vegan. Mas é muita pimenta para uma única refeição. Quem for forte, pode arriscar. Receitas abaixo.

Chilli
1 xícara de feijão cozido e batido no liquidificador com um pouco de água ou o caldo do próprio feijão (não bater muito para deixar com alguns grãos inteiros)
1 xícara de PTS média hidratada (granulada)
Meio pimentão verde picado (a receita original manda colocar pimentões das três cores. Só com o verde ficou bom também)
1 tomate picado em cubinhos
1 colher de extrato de tomate
Sal e pimenta jalapeño (usamos aquela Tabasco) a vontade.
3 colheres de cebola picadinha
1 dente de alho
Louro e um pouquinho de cominho (opcional)

Frite o alho e cebola até dourar. Em seguida, acrescentar a PTS, o pimentão e o tomate. Deixe refogar e acrescente o feijão batido. Misture e depois adicione o extrato de tomate, a pimenta, sal e os demais temperos. Deixe refogar até que a mistura esteja bem grossa.


Tortillas
2 xícaras de farinha de milho (daquela de flocos)
1 e 1/2 xícara de água
1 colher de creme vegetal ( eu uso Delicata)
1/2 colher de sal


Em uma panela, esquente o creme vegetal e a água até ferver. Em seguida, acrescente a farinha de milho e misture. Desligue o fogo e deixe esfriar. Sove a mistura com as mãos.
Com a ajuda de um rolo, abra a massa bem fininha, mas não muito para não rasgar na hora de fritar. Eu uso papel filme em cima da massa para não grudar no rolo na hora de abrir e corto com a ajuda da tampa da garrafa térmica. Improvisado, mas ajuda a deixá-las mais bonitinhas.
Frite-as em uma frigideira anti-aderente untada com uma gotinha de óleo. Doure dos dois lados e pronto.
Eu uso o forno para esquentá-las antes de servir. Assim, elas ficam mais crocantes também.


Guacamole
Meio abacate maduro cortado em cubos
1 tomate cortado em cubos
Cebola também em cubos
Limão e sal
(tem gente que coloca pimenta na guacamole. Fica a dica, mas eu prefiro sem)

segunda-feira, 12 de julho de 2010

Esfihas (vegan)

Massa fácil de fazer e fica pronta rapidinho. Ótima pedida quando a criatividade não está em alta.



Massa:
3 xícaras de farinha de trigo
150 ml de água morna
50 ml de óleo de soja
1colher de chá de sal
1 colher de chá de açúcar
1 sachê de fermento biológico seco

Modo de preparo:
Em uma bacia, misture a farinha com o fermento biológico seco. Em seguida, acrescente o sal, o açúcar e misture. Depois acrescente os demais ingredientes e amasse bem até que a massa fique homogênea. Deixe a massa descansar por 40 minutos. Aproveite este tempo para preparar o recheio.

Recheio:
No recheio eu usei PTS fina. Frite ela com cebola picadinha, um tomate picadinho, sal e temperos. É importante deixar ela bem sequinha e esperar que o recheio esfrie antes de começar a rechear suas esfihas.


Depois de deixar a massa descansar, faça pequenas bolinhas de tamanhos iguais. Abra a massa com a ajuda de um rolo. Recheie e feche as esfihas. Coloque-as em uma fôrma untada, com a abertura para baixo, para evitar que elas abram. Asse em forno pré-aquecido a 200 graus por mais ou menos vinte minutos ou até que ela estejam douradas.


sábado, 26 de junho de 2010

Sopa Indiana de Lentilhas (vegan)

Para os dias frios, não há nada melhor. Fiz essa receita pela primeira vez na semana passada e deu super certo. Ficou muito gostosa.A quantidade sugerida abaixo é ideal para duas pessoas.


Azeite
1 xícara e meia de lentilhas
1 batata média picada em quadradinhos
1 cenoura picada
cebola picadinha
1 dente de alho
1 colher de sopa de gengibre fresco picado
6 tomates cereja cortados em quatro
Curry e açafrão

Lave a lentilha e reserve. Frite a cebola e o alho, adicione o gengibre e em seguida coloque a lentilha, a cenoura e a batata e acrescente água suficiente para cubrir esses ingredientes. Tempere com sal, curry e açafrão e cuidado para não deixar apimentado demais.
Deixe no fogo por cerca de meia hora ou até que a lentilha esteja bastante cozida, com o caldo engrossando. Se necessário, acrescente mais água. Por último, acrescente os tomates e sirva.

quinta-feira, 24 de junho de 2010

Bolo de Chocolate (vegan)



Ingredientes:


4 xícaras de chá de farinha de trigo
1 e 1/2 xícaras de chá de açúcar
2 xícaras de chá de achocolatado em pó
1 xícara de chá de óleo de soja
1 xícara de chá de água quente
1 xícara de chá de água fria
2 colheres de fermento em pó


Modo de preparo:

Misture a farinha, a açúcar e o achocolatado.Acrescente os ingredientes líquidos e misture. Por último, adicione o fermento e misture, sem bater. Leve ao forno pré-aquecido em forma untada por cerca de 40 minutos.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Sopa Vegan de Grão de Bico

250 gramas de grão-de-bico
meia cabeça de brócolis
2 dentes de alho
1 tomate
1 batata

Lavar e escorrer o grão-de-bico e colocá-lo para cozinhar em uma panela com água por cerca de 40 minutos ou até que ele esteja mole o suficiente. Separe alguns grãos e o restante coloque no liquidificador e bata com um pouco de água, até que o grão-de-bico fique cremoso.
Em outro recipiente, cozinhe a batata e o brócolis.
Em um panela, frite o alho e em seguida junte o tomate, a batata, brócolis, o restante do grão-de-bico e o creme de grão de bico batido. Coloque um copo de água, sal e pimenta a gosto e espere engrossar.